quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Em meio ao sol de janeiro e o calor do verão.


Ora ou outra, ela se pegava em meio a lembranças. Sabe aquelas típicas lembranças de momentos passageiros, mas que insistem em pesar mais do que deveriam? Pois bem. Qualquer um poderia adivinhar que quando ela estava ali, sentada em qualquer canto, com o olhar fixo no horizonte e a mente muito além dele, certamente estaria a pensar, lembrar e relembrar, sem se cansar, de tudo vivido naquela semana. Uma semana que ela não sabe se tem orgulho ou não de ter deixado que acontecesse.
E também não era muito dificil saber como eram aquelas lembranças. Era como se estivesse escrito em seu olhar tudo o que ela insistia em não apagar da memória e do coração. Ela se lembrava desde todas as vezes que em que ele puxava com o dedo indicador suas mechas louras que insistiam em bagunçar seu rosto, até todas as flores feitas com canudinhos de refrigerante que ele fizera para ela naquela tarde de sábado; haviam delas de todas as cores espalhadas pela mesa da lanchonete. Ela lembrava também da vez em que ele ficou brincando com sua pulseira, enquanto ela falava alguma coisa aparentemente banal. Lembrou-se também da última vez que em que mediram suas mãos, debaixo daquele céu escuro e estrelado, naquela última sexta-feira que passaram juntos. Mas por fim, a lembrança mais cruel que ela tinha era a daquele fim de tarde de domingo, em que ela o viu ir embora. Viu ele entrar naquele carro, colocar o cinto de segurança, dar um último sorriso e ir embora. Naquele momento, foi como se ele estivesse levando consigo uma parte do coração dela.
E hoje, depois de lembrar e relembrar infinitas vezes de cada lembrança, ela não sabe se ri ou se chora por ter vivido um amor de verão como aquele.

*texto fictício*

Beijos e me liga pra contar do seu amor de verão :*


PS: Tenho certeza absoluta que Laís Anjos e Leticia Anjos vão entender perfeitamente a essência desse texto.
PS2: Meninas, estou indo pra praia agora na sexta-feira, e vou ficar um tempinho sem postar..... portanto, tenham paciência :)
PS3: Comente, deixe a sua marquinha aqui :)

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O que o tédio não faz com uma pessoa...


Em meio a uma tsunami de puro tédio, resolvi fazer um balanço super atrasado sobre os livros que eu li em 2010... Não foram muitos, até porque ano passado eu desperdicei muito do meu tempo com coisas fúteis. E não me lembro onde, mas vi uma frase que dizia algo do tipo "Eu gosto mais de livros do que de pessoas" e é basicamente isso.
Não vou fazer resenha de nenhum deles, porque eu sou péssima nisso; apenas postarei um comentário ou outro sobre o livro.


1. O Diário da Princesa - Meg Cabot.
Comecei a ler a série e simplesmente me apaixonei. A história faz aqueles estilinhos bem 'leitura light' sabe? Sem contar que o jeito de escrever da diva Meg é maravilhoso. No momento estou lendo o volume sete, e pretendo terminar a série até o final do ano.

2. O diário da Princesa - Sob os Refletores.
Volume dois da série.

3. O Diário da Princesa - A Princesa Apaixonada.
Volume três da série.

4. O Diário da Princesa - A Princesa à Espera.
Volume quatro da série.

5. O Diário da Princesa - A Princesa de Rosa-Shocking.
Volume cinco da série.

6. O Diário da Princesa - A Princesa em Treinamento.
Volume seis da série.

7. Traição Entre Amigas - Thalita Rebouças.
Dos livros da Thalita, esse foi o que eu mais gostei. Se você for julgar pelo título, dirá que não vale a pena, mas te garanto que a história é bem mais atrativa do que a capa. Na época em que o li, a história meio que caiu como uma luva na minha mão e, de certa forma, me foi muito útil.

8. Fala sério, mãe! - Thalita Rebouças.
Mais um livrinho da Thalita. Este eu diria que foi mais um passa-tempo, porque o li em um piscar de olhos, e foi mais para apreciar o bom humor que a autora costuma usar em seus livros.

9. Fala sério, amor! - Thalita Rebouças.
Idem.

10. Venha Ver o Por-do Sol- e Outros Contos - Lygia Fagundes Telles.
Como todos já sabem, eu sou apaixonada por contos. E eu realmente adorei este livro. É curtinho, mas tem contos bem legais. Isso sem mencionar que a Lygia escreve super bem.

Deixei os melhores para o final \o/

11. A Cabana - Willian P. Young.
FANTÁSTICO. Acho que essa é a única palavra que o descreve. Um livro clássico, e acredito que não tem uma pessoa que ainda não o leu. Não foi o melhor livro que eu já li, mas com certeza está entre os melhores. A cada capítulo você consegue tirar pelo menos uma reflexão, e nele eu li uma frase que carrego sempre na ponta da língua: "A confiança é fruto do relacionamento em que você sabe que é amado".

12. A Menina Que Roubava Livros - Marcus Zusak.
Um outro clássico, mas muito bom também. E foi fundamental lê-lo antes de estudar o capítulo sobre a Segunda Guerra Mundial na escola. É um livro um pouco extenso e cansativo, mas com um pouco de paciência e vontade de descobrir o final, consegui lê-lo e adorei.

13. Sonho de Uma Noite de Verão - William Shakespeare.
Foi a minha primeira obra de Shakespeare é, eu nunca li Romeu e Julieta. É um livro interessante, de português complicado, mas como no clichê Shakespeariano, no final sempre morre alguém pronto, contei. Mas é um romance muito bonito.

14. Sussurro - Becca Fitzpatrick.
Esse foi/é/será o melhor livro que eu já li, sem comparações. Não sei se eu me identifiquei demais com a Nora Grey, ou o quê, mas só sei que é fantástico. É aquela historia que você se prende DEMAIS e quando chega no final, dá vontade de chorar porque acabou. Eu amei.

15. Querido John - Nicholas Sparks.
Basicamente: mil vezes melhor que o filme. Sem contar que mudaram tanto a história na hora de adaptar para o cinema, que por um segundo o final fica quase irreconhecível. Mas fora isso, é um livro bem gostoso de se ler.

Ufa, terminei. Foram esses os meus livros de 2010.
E que venham mais em 2011 \o/

Beijos e me liga pra contar dos seus livros :*


quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

05h05

( 05h05)

O celular vibra e ela acorda assustada.
“Alô?”
“Bom dia, meu amor.”
“Quem tá falando?!”
A ligação cai.

(06h06)
O celular torna a vibrar, dessa vez um SMS.
“Enquanto estiver longe daqui, pensa em mim. E eu vou estar pensando em ti. Se cuida aí e lembra que tem alguém aqui que te ama mais que qualquer coisa.”
O coração dela acelera. Ela não consegue mais dormir.

(07h07)
Outra ligação.
“Quem é você, e porque está fazendo isso?”
“Porque eu te amo.”
Nesse exato instante, alguém bate na porta de vidro que permitia acesso à sacada. Ele estava ali. Ela abre a porta e o vê.
“Você fica linda enquanto dorme, sabia?”
Ela ri. “Há quanto tempo você está ai?”
Ele olha para o relógio. “Desde ontem a noite.”
Ela dá um sorriso e ele a abraça.


Beijos e me liga pra contar quem estava na sua varanda :*


PS: Esse textinho sim tá sem graça, não neguem! Mas é que não tinha outro pra postar :x Fiz ele há um tempinho e só dei uma editada... :)
PS2: Consegui o 2º lugar na edição Conto/História do Projeto Bloínquês da semana passada com "Uma lembrança impossível de esquecer" \o/
PS3: Essa semana cumpri o item número 01 da minha Wish List, ae ae \o/
PS4: Comente, deixe sua marquinha aqui :)

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Aprenda.

Aprenda a chorar, e eu enxugarei tuas lágrimas.
Aprenda a ouvir, e eu te direi tuas verdades.
Aprenda a falar, e eu escutarei teus desabafos.
Aprenda a perdoar, e eu esquecerei teus erros.
Aprenda a sentir, e eu devolverei teus sentimentos.
Aprenda a esquecer, e eu guardarei tuas lembranças.
Aprenda a abraçar, e eu te darei o teu abraço.
Aprenda a viver, e eu mostrarei tua felicidade.
Aprenda a ser feliz, e eu estarei contigo. Pra sempre.
Aprenda a amar, e eu te amarei. Pra sempre.
Aprenda a aprender, e isso te tornará humano. Pra sempre.

Beijos e me liga pra contar o que você quer que aprendam :*



PS: Mais um dos meus textinhos sem graça e que tenho certeza que poucos entenderão a verdadeira essência dele. Talvez só eu o entenda mesmo, mas enfim...
PS2: Comente, deixe sua marquinha aqui :)

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

O tal do Livro Vermelho.

Chovia. Olhei pela janela e mal conseguia ver a cidade. Além dos respingos de água no vidro, a neblina ajudava a embaçar a vista que eu tinha do décimo terceiro andar do prédio. Era uma das paisagens mais bonitas da cidade, te garanto. Mas com a chuva que caia, o que eu via dali só deixava uma sensação de angústia. De pés descalços e pijama ainda um pouco amassado, saí do quarto, e atravessando o corredor, me deparei com uma caixa de papelão onde havia meu nome escrito com caneta grossa e em letras grandes. Não hesitei em abri-la, e o que havia dentro dela me trouxe boas lembranças.
Era ali que estavam as cartas, objetos, bilhetes e todas as lembranças que eu tinha de quando morávamos em Washington. Já tinha me adaptado ao ritmo brasileiro, afinal, cinco anos morando aqui não é qualquer coisa. Gosto bastante dessa cidade; ter o mar a sua disposição realmente é bem empolgante. Mas nada se compara a tudo que eu vivi nos Estados Unidos; montei toda minha história lá e fora obrigada a partir sem ao menos ter a chance de termina-la com um final feliz. Mas tive a oportunidade de recomeçá-la por aqui, o que por sinal está dando certo.
Peguei a pesada caixa que estava no chão e a levei para o quarto. Joguei-a na cama, me sentei e depois de revirar algumas coisas por ali, encontrei um livro de capa vermelha aveludada. Confesso que quando o vi, senti meus olhos se encherem d'água. Fiquei um pouco em choque com o que havia encontrado, afinal, eu tinha quase toda a certeza de que tinha o perdido na viagem. Era o meu livro. O livro que eu montara durante toda a minha infância e parte da adolescência que passara nos Estados Unidos. Nele haviam fotos coladas com cola branca, desenhos rabiscados com giz de cera e pequenas anotações nos roda-pés das páginas. Cada capitulo que eu separara daquele caderno, representava uma época da minha vida, e quem nela havia estado. Poderia dizer que toda minha história estava arquivada ali, naquele livro vermelho.
Passei a palma da mão na capa, com o intuito de tirar um pouco da poeira que estava ali, e pude ver melhor as imagens coloridas que me fizeram lembrar, como se fosse hoje, de tudo. Estava com um aspecto meio antigo. Fui brutalmente atingida pela saudade ao folhear cada página daquilo, o que me fez cair em um choro descontrolado. Mas eu só senti uma sensação diferente quanto parei na metade do livro, na página quarenta e nove, para ser mais precisa. Foi quanto eu passei os olhos por todas aquelas fotografias de amor, todos os corações avermelhados que haviam sido desenhados com canetinha, e todas as frases apaixonadas que foram escritas a lápis. Havia escrito-as a lápis, para que pudesse apagá-las depois.
E me deu mais saudade ainda. Saudade de quando eu amei e fui amada, de quando eu acreditava que poderia ser feliz para sempre, de quando eu pensava que o 'para sempre' realmente existia. Saudade da inocência que eu ainda tinha naquela época, e do coração intacto que eu carregava comigo. Saudade de ser quem eu era. Saudade de ter quem eu tinha.
Mas aquele livro vermelho serviu para me ensinar que um dia a vida te obriga a abrir os olhos e seguir em frente, mesmo que para isso você tenha que mudar de país. Mudar faz bem; mas recomeçar, faz um bem maior ainda.

*texto fictício*

Beijos e me liga pra contar quantas vezes já te obrigaram a mudar :*


PS: Fiquei super feliz por saber que todos gostaram do novo layout do blog *-*
PS2: Comente, deixe sua marquinha aqui :)

Questionário.





Fui indicada pela linda da Laís Anjos do blog Além da Imaginação, para responder esse questionário. Então vamos lá:

1-Qual o seu objeto mais pessoal?
O celular, com certeza :x
2-Que tipo de música você prefere?
Tudo que não engloba samba, pagode, axé, rap e funk.
3-Tem alguma música em especial? Por que?
You - The Pretty Reckless. Me traz algumas lembranças, boas ou não.
4-Gosta de ver fotos?
Muuuuuito.
5-Qual foi o último filme que viu no cinema?
Harry Potter... Percebam como a pessoa anda desatualizada :)
6-Você é convencido?
Pergunta pro Renan, ele certamente saberá te responder, porque disso ele entende IASUASUIASSAU brincadeirinha, não sou não.
7-Quais problemas mundiais te preocupam mais?
A fome, com certeza.
8-Até onde é capaz de ir por amor?
Depende que tipo de amor é esse. Mas nunca parei pra pensar sobre.
9-Gosta de ler?
Amo ler.
10-O que achas muito romântico?
Tudo que for feito com amor é romantico.
11-O que você acha da homossexualidade?
A pessoa sabe o que tá fazendo, então vá em frente. Não tenho preconceito.
12-Ainda faltam muitos sonhos para você realizar?
Quase todos :x
13-Você é capaz de morrer por alguém?
Se esse alguém for o meu pai, sim.
14-Você acredita em horóscopo? Por quê?
Passei a acreditar e agora virou mania espiar o horóscopo todos os dias :x
15-Você é organizado?
Nem um pouco.
16-Você tem medo de andar de avião?
Não.
17-Gosta de sol? Praia?
Só gosto do sol se eu tiver uma praia ou piscina a minha disposição, caso contrário não.
18-Você usa óculos?
Só de sol. O que aliás, é uma outra mania minha.
19-O que você faz aos sábados pela manhã?
Durmo (?)
20-Você vê muita TV?
Só quando não estou no computador.
21-Tens algum fetiche?
Vem aqui que eu te conto (6) IASUAUSIASUASUA alok.
22-O que você mudaria no mundo?
Não sei.
23-Você é vaidoso (a)?
Imagina, quase nada viu (u) SOU MUITO VAIDOSA aisuasusaiu
24-Você gosta dos seus vizinhos?
Nada contra.
25-Gosta de sopas?
Não muito.
26-A que horas você se levanta?
Ultimamente não acordo antes das 11h.
27-Partilhas teu quarto com alguém?
Irmã querida -n .
28-Você é uma pessoa simples?
Acho que sim.
29-Você tem boa memória?
Só quando eu quero.
30-Você vê desenho animado?
Quando não tem outra coisa, vai desenho mesmo né... hahaha
31-Tens jeito para escolher presentes?
Acho que sim.
32-Você já acampou?
Só no quintal de casa. Odeio mato.
33-O que fazes nas férias de verão?
Se Deus quiser, praia.
34-Sais à noite? Onde costuma ir?
Quando dá. Cinema, shopping, restaurantes e afins.
35-Primeira coisa que você lava no banheiro?
Rosto.
36-Com quem você vai estar hoje à noite?
Só Deus sabe.
37-O que você vai fazer amanhã?
Amanhã é sexta? Provavelmente nada.
38. Quando foi a ultima vez que chorou?
Ontem, assistindo "Uma Prova de Amor" pela milhonésima vez. Ain, aquele filme acaba comigo :')
39-Estação preferida?
Inverno.
40-Alguma vez já bateu em alguém?
Já MUAHAHA
41-Qual foi a última pergunta que você fez?
Você vai lá hoje, mãe?
42-Diz o que te vier à cabeça:
Sono.

E eu indico o questionário para............................ tan-tan-tan-taaan
Lisandra Lavigne :)

PS: Eu sei que a imagem não tem nada a ver com o post, mas eu achei bonitinha e resolvi postar AUSIASU

domingo, 2 de janeiro de 2011

Uma releitura de 2010.

O ano se passou. E rápido, muito rápido.
Me lembro do Reveillon passado exatamente como se fosse hoje, e parece que apenas dias se passaram. Mas percebi que 365 dias é o tempo perfeito para se aprender mais do que se imagina, e eu não sabia disso até então. Aprendi tanta coisa nesse tempo.
Aprendi que você pode crescer com ações tão pequenas, que nem dá para imaginar. Aprendi que quando você acha que está tudo bem, a vida sempre tratará de te fazer mudar de opinião o mais rápido possível. Aprendi que a distância é a melhor coisa para se esquecer um amor, e também aprendi que você pode, sim, esquecer pessoas que você pensava ser impossível de apagar da memória. Aprendi que não tem coisa mais gratificante do que ver feliz com outro alguém a pessoa que um dia você amou, e se sentir feliz por dentro. Parece impossível e bobo ao mesmo tempo, mas isso existe. Aprendi que nem sempre a sua família pode te acolher da maneira que tanto dizem. Aprendi que quando você não está bem, é melhor se trancar e chorar sozinha do que descontar sua raiva em alguém, mesmo que sua vontade seja essa.
Aprendi que quando uma pessoa do seu passado bate na sua porta depois de muito tempo, não quer dizer que você deva abri-la para ela. Mesmo que você queira, às vezes essa não será a melhor opção. Aprendi que muitos adjetivos em uma unica frase, quase nunca são verdadeiros; quando se quer que alguém saiba o quanto ela é importante para você, apenas três palavras bastam. Aprendi também a não acreditar tanto nas palavras de alguém, a não ser que você conheça a pessoa bem o suficiente para saber que ela não está mentindo.
Aprendi que coisas aparentemente bobas até então, podem te fazer se sentir tão bem quanto você não se sentia há tempo. Aprendi que se agir sem pensar em relação a uma coisa que você queira muito, talvez você não se arrependa. Talvez, eu disse. Mesmo assim você tem que estar ciente de todas as consequências. Aprendi que existem pessoas que se escondem ao máximo, por tras de um rostinho bonito; isso é porque nem elas mesmas se aceitam. Aprendi que você pode ter um amigo tão importante, e que mesmo estando tão longe supera muitas das suas amizades. Aprendi que os melhores conselhos não são os de mãe; são os de pessoas que eu nunca imaginei que me ajudariam como ajudaram.
Aprendi que o homem da minha vida não era aquele garoto por quem eu daria a vida; o homem da minha vida é o meu pai, e isso nunca mudará. Nunca. Aprendi que fazer 15 anos não me trouxe diferença nenhuma, tudo está como estava antes. Aprendi que algumas amizades conseguem se disfarçar de maneira tão perfeita, a ponto de você confundi-la com algo realmente verdadeiro. Mas aprendi que ao mesmo tempo, haverá uma pessoa que te provará ser sua melhor amiga.
Mas acima de tudo eu aprendi que no final de cada história, embora demore para isso acontecer, você vai lembrar e rir de tudo. E vi que aprender é essencial.


Beijos e me liga para contar o que você aprendeu em 2010 :*

PS: Happy New Year \o/ Desejo um 2011 maravilhoso a todas (os) as (os) leitoras (es) :)
PS2: Mudei o layout *-* Esse será o visual do blog este ano, ou pelo menos até eu enjoar... hahaha Se você gostou, manifeste-se. Se não gostou, manifeste-se também.
PS3: Fiz a minha wish list 2011, e ela ficará postada aqui. Peço o apoio e a cobrança de vocês para que eu possa cumpri-la :)
PS4: Comente, deixe aqui sua marquinha :)